Archive for fevereiro, 2011

Sucesso no segundo transplante de laringe documentado no mundo

LD | 18 de fevereiro de 2011 in Voz | Comments (1)

Americana recuperou a capacidade de falar

Quem passou pelo procedimento com êxito foi uma americana, de 52 anos, que recuperou a sua capacidade de falar.

Brenda Charett Jensen teve suas cordas vocais danificadas há mais de 10 anos e só falava com a ajuda de um dispositivo que soava como uma voz eletrônica. Voltar a falar com sua voz natural era um sonho.

Ela foi submetida ao transplante em outubro do ano passado, operação realizada por médicos da Universidade de Califórnia e no Centro Médico Davis, além de médicos britânicos e suecos.

Com duração de 18 horas, os profissionais trocaram a laringe, a traqueia e a glândula tireoide a partir de material retirado de um doador.

Embora Brenda esteja falando com uma laringe transplantada, a sua voz não será semelhante à do doador.

Martin Birchall, professor de laringologia na Universidade College London, explica o porquê:

A maior parte do que ouvimos como o discurso se deve ao padrão respiratório e à maneira como movemos lábios, palato e língua. Ela terá o mesmo sotaque, entonação e mesmo padrão de discurso de antes.

Após dois meses de recuperação, Brenda é capaz de sentir cheiro e sabor pela primeira vez em muitos anos. Sua voz ainda soa rouca, mas espera-se que ela apresente recuperação completa.

O outro único transplante de laringe documentado ocorreu na Clínica Cleveland, em Ohio, em 1998.


Autor: Redação
Fonte: Blog da Saúde


“O Discurso do Rei”

LD | 9 de fevereiro de 2011 in Fluência | Comments (0)

Baseado em uma história real

Sinopse: Após a morte de seu pai, o Rei George V (Michael Gambon), e a renúncia escandalosa de seu irmão, o Rei Edward VIII (Guy Pearce), Bertie (Colin Firth), que sofre de uma gagueira debilitante desde a infância, é subitamente coroado rei da Inglaterra, tornando-se o Rei George VI. Com seu país na iminência de uma guerra e precisando muito de um líder, sua esposa, Elizabeth (Helena Carter), a futura Rainha-Mãe, faz com que seu marido encontre o excêntrico fonoaudiólogo Lionel Logue (Geoffrey Rush). O Rei e o fonoaudiólogo dão início a um tratamento pouco convencional e formam um forte vínculo. Com o suporte de seu fonoaudiólogo, de sua família, de seu governo e de Winston Churchill (Timothy Spall), o Rei George VI supera sua gagueira e faz um discurso radiofônico que inspira e une seu povo na guerra.

Site oficial: Saiba mais‘) www.kingsspeech.com


Amamentação pode melhorar a inteligência de meninos

LD | 3 de fevereiro de 2011 in Sem categoria | Comments (0)

Crianças alimentadas por leite materno por mais de seis meses tiveram resultados melhores em testes.

Crianças de dez anos que haviam sido amamentadas por ao menos seis meses tiveram resultados melhores em testes-padrão de leitura, matemática e grafia, em comparação com crianças amamentadas por períodos mais curtos.

A conclusão é de um estudo australiano feito com mais de mil crianças e relatado nesta segunda-feira pelo site especializado “MedPage Today”.

Os efeitos benéficos da amamentação apareceram de forma mais relevante em meninos, possivelmente porque o leite compensa hormônios femininos que ajudam a proteger o cérebro de meninas.

Outra possibilidade é que a amamentação tem um efeito positivo nas relações entre mãe e filho, facilitando a interação e, de forma indireta, o desenvolvimento cognitivo, segundo o MedPage Today. Como os meninos dependiam mais da atenção materna do que as meninas, os efeitos positivos dessa interação se fariam mais presente neles.

‘Provas crescentes’


O estudo, publicado na revista Pediatrics, foi coordenado por Wendy Oddy, do Instituto de Pesquisa de Saúde Infantil da Universidade do Oeste da Austrália.

‘Nosso estudo adiciona provas crescentes de que a amamentação por ao menos seis meses tem efeitos benéficos para o melhor desenvolvimento da criança’, escreveram Oddy e seus colegas.

A relação entre amamentação e desenvolvimento cognitivo é atribuída aos nutrientes presentes no leite materno – principalmente ácidos graxos poli-insaturados -, que ajudam no crescimento de membranas celulares do cérebro e de neurônios.

O estudo levou em consideração os outros fatores que também influenciam o desenvolvimento cognitivo infantil e disse ter tentado controlá-los entre as crianças estudadas. Com isso, foi possível observar também que índices menores de educação materna e renda prejudicavam o desempenho das crianças.

Em contrapartida, as que liam mais durante a idade de três a cinco anos tiveram melhores resultados nos testes de leitura e escrita.

Fonte: Saiba mais http://www.g1.com